Ronaldo e as mulheres que não eram (um estudo de caso do preconceito e machismo)

maio 9, 2008 at 12:09 pm 2 comentários

A não ser que você tenha entrado pra alguma seita que te impede de entrar em contato com qualquer tipo de meio de comunicação, ou tenha acampado nas Galápagos neste fim de semana, você sabe, com detalhes sórdidos, o caso “Ronaldo e os travestis”.

Pois bem, eu não estou aqui pra debochar da cara do Ronaldo (de quem jamais gostei, e tenho bons motivos para desgostá-lo), nem para tentar redimí-lo após o mico (acredite em mim, eu jamais faria isso). Eu estou aqui masi voltado para evidenciar uma cosia que muito me enoja na mentalidade brasileira e, em geral, terceiro-mundista: o machismo.

Eu tenho de admitir que eu sou razoavelmente liberal, até onde posso ser com a percepção de mundo de um jovem com os sentidos embotados pela mídia mundial, mas, liberal ou não, algumas coisas são consideráveis (ao menos por minha ótica) inaceitáveis. Entre elas está o tal machismo.

Bem, se olharmos para o caso do Ronaldo, vemos ele se fazer de santo (ou João-sem-braço, bem na cara de pau), em meio a situação vexaminosa em que ele mergulhou até o pescoço. Enquanto isso, do outro lado da tela da tv ou do pc, estamos nós formando nossas opiniões e comentários a respeito do caso.

Em um pequeno levantamento que fiz com algumas pessoas com quem tenho contato, (a esmagadora maioria excelentemente instruída, alguns sao até PhD.) constatei uma verdade que, temo eu, seja a verdade para uma grande maioria dos brasileiros: a culpa foi jogada apenas no lado dos travestis, principalmente no que atende pelo nome de “Andrea”. Todos os vêem como víboras maquiavélicas que procuravam dinheiro fácil e grande enganando o “pobre coitado” do Ronaldo (como se um tiozão de trinta e poucos fosse tão mané a ponto de cair fácil no conto do vigário) e que de lambuja ainda ganharam fama e marketing por parte dos jornais e programas de fofocas.

Ora, isso é devido, em parte, pelo fanatismo por futebol, que idoliza os jogadores como seres heróicos. Mas a maior pracela de responsabilidade por tal pensamento é justamente o machismo que existe enraizado na cabeça do brasileiro de um modo geral. Provemos isto em quatro breves pontos

Primeiro: os travestis são homens que, em busca de dinheiro, despiram-se de sua masculinidade e identidade como varões plenos em busca de se sustentar. Portanto, são homossexuais, ou Viados, como o preconceito dita.

Segundo: sob o papel de travestis, eles assumem uma postura de “mulher”, ou tão somente “prostituta”, ou seja, sub-humanos, indignos de qualquer respeito ou consideração (exatamente o que disseram alguns dos “entrevistados”: “viado tem que se lascar mesmo, só serve para isso”).

Terceiro: sendo Ronaldo uma celebridade (decadente, diga-se de passagem, já que sua trajetória é marcada por estar sempre “de molho”, consertando um joelho rebelde, e por diversas separações, litigios e escandalos com suas ex-mulheres e ex-namoradas), acentua-se o papel dos travestis como criaturas pérfidas, tramando findar a carreira midiática dele.

Quarto: o mais importante de todos. Ninguém parou para ver que Ronaldo não foi atacado na rua pelos travestis, nem foi passar uma noie no motel apenas pelo ar-condicionado; ele contratou, de livre e espontânea vontade, os serviços sexuais dos travestis (mesmo achando que fossem mulheres). Ninguém parou para ver que ele estava, com esse ato, contratando prostitutas, e fomentando a prostituição (pois quem compra os serviços está ajudando a sustentar a prática). Ainda por cima, ele estava compromissado com outra pessoa, sua namorada/noiva, o que agrava tudo, pois ainda por cima ele foi infiel (por mais liberal que eu seja, eu ainda acho muito errado você se comprometer com uam pessoa e chifrá-la, sje apela frente, seja pelas costas.).

Mas, alguem lemrbou de culpá-lo pela traição da mulher que ele dizia amar e respeitar? alguem culpou-o por fomentar a prostituição? Não!! todos estavam mais ocupados crucificando os travestis, que meramente tentavam sobreviver no meio injusto que é o Brasil.

Mas, você sabe “Joga pedra na Geni\ Joga bosta na Geni\ Ela é feita pra apanhar\ Ela é boa de cuspir\ Ela dá pra qualquer um\ Maldita Geni!!”

Entry filed under: Uncategorized. Tags: .

As discrepâncias e valores na universidade (ou a peleja de Dotô Reitor e os estudantes) Alguns questionamentos pretensiosamente transcedentais

2 Comentários Add your own

  • 1. underground  |  maio 9, 2008 às 1:24 pm

    A música do Chico Buarque!!!

    Massa ^^

    blog massa tb!

    flw

    Responder
  • 2. Marcos Costa Melo  |  maio 10, 2008 às 9:16 pm

    Gostei dos seus textos, boas reflexões, li todos desta página. Sobre o caso do Ronaldo, na verdade não vi muita gente defendendo ele não, vi foi fazendo piada. Aliás, quem mais defendeu ele foi o delegado, que dizem, levou um por fora…hehe

    abs

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Blog Stats

  • 764 hits

%d blogueiros gostam disto: